Ponto de Virada, é o nome atribuído à um momento de uma história que muda o rumo da história, apresentando novos obstáculos e/ou novas soluções para o personagem.

Existiram alguns desses em minha vida…alguns com certeza maiores do que eu gostaria. Mas hoje eu estou vivendo o maior ponto de virada que eu ja tive, e vou aproveitar esse momento para escrever sobre minhas reflexões do intercâmbio.

O lado ruim

Quando se está fora de casa, a milhares de kilômetros de toda a sua família e dos seus amigos, da sua antiga vida e da sua rotina, isso significa que você precisa se reinventar. Você precisa ter um rápido aprendizado para estabelecer novos relacionamentos, entender o seu ambiente, se adaptar à todas as dificuldades, que dependendo do seu local de destino, são muitas e difíceis de contornar, e mais importante, a habilidade de controlar tudo que está ao seu alcance o tempo todo e simultaneamente pensar em todas as dificuldades que podem surgir e saber como contornar elas.

Em um intercâmbio, você passa por muitas coisas boas e apenas algumas ruins, o problema é que essas coisas ruins vem muitas vezes quando se está disprevinido, e as vezes a solução que você costuma adotar para isso não é possível em uma viagem.

Muitas vezes você vai sentir um pouco de tristeza, as vezes muita tristeza, isso é um processo natural, causado por mudanças e fatos repentino, que trazem aprendizado e auto-descoberta para a pessoa, e dificilmente você retorna exatamente como você era quando viajou.

Para onde está voltando

Voltar para casa, um sentimento que muitas vezes queremos que chegue logo e tantas outras queremos que não chegue, mas oque é certo, é que você começa a dar um valor muito mais real para as suas coisas, e as pessoas que estavam sempre à sua volta. Aquele ditado que diz que não se sabe o valor do que tem até perder é sempre verdade, mas mesmo sabendo disso as pessoas ainda não aplicam na vida real, sempre caindo na mesma história de “eu deveria ter dado mais valor”. O intercâmbio é uma benção, porque ele faz você perder tudo o que você conhecia e gostava, mas com a diferença de te dar de volta depois, dando uma segunda oportunidade para apreciar as coisas em sua totalidade.

Eu sempre tive plena consciência da questão de valores porque eu tenho experiência em morar sozinho, e mesmo para mim foi bem difícil, pois estar longe de família, e estar longe de família em outro país é um abismo de diferenças muito grande, e meu carinho e consideração por toda a minha família e amigos ficou ainda maior.

O que você deixou para trás

Por eu fazer parte da AIESEC, tive contatos com pessoas que viajaram, e pessoas que estavam viajando no Brasil, todas elas falam como é impactante e de certa forma indescritível a experiência de viajar, eu hoje posso dizer com toda a certeza de que eles estavam completamente certos.

Estar em um país, onde poucas pessoas conhecem de verdade, ou sequer tem uma pequena noção da realidade dele, onde o idioma é um obstáculo enorme para qualquer tipo de comunicação e ajuda que se pode esperar, onde a comida, a religião, os costumes, são completamente diferentes, e desconhecidos para você, é uma das melhores experiências da vida que se pode esperar, conhecer os museus, ver as belezas naturais e também as feitas pelo homem, entender a sua história, as suas verdadeiras riquezas, viver as tradições de um povo, isso são coisas que nenhum livro ou internet conseguirão prover para você.

O que você vai levar com você

Não estou falando de souvenirs, ou de chocolates ucranianos, mas sim de duas questões bem mais importantes, memórias e amigos.

As duas andam as vezes juntas ou separadas, mas são com certeza as duas coisas mais valiosas de qualquer experiência que se pode ter, porque são as memórias que vão te dizer quem você é, quem você deve ser, e para onde você vai.

E os amigos, pessoas que você vai querer levar para a vida toda, pessoas que te ajudaram em um momento de dificuldade, pessoas que você conheceu num bar ou uma balada, pessoas com quem você dividiu um teto, ou simplesmente uma batata, pessoas que ficaram com você por alguns minutos, ou por semanas, pessoas que brigaram com você, que riram com você, as vezes os dois ao mesmo tempo. As vezes ela não vai lembrar de você, porque você não impactou a vida dela da forma que ela causou em você, e as vezes ao contrário, alguma ação que você tomou parecia normal para você, mas para alguém foi uma coisa grandiosa e verdadeiramente especial. A verdade é que você nunca terá exata certeza do quão forte é o seu laço com alguém, ou quanto tempo ele irá durar, você não sabe se aquela pessoa do outro lado do mundo você irá ver novamente enquanto a que está bem perto você talvez nunca mais tenha essa oportunidade.

Uma coisa eu espero que aprenda ao ler isso, o lugar que você vai muda muito sua experiência, o tempo e atividade que irá realizar também, mas o fator que mais vai influenciar são as pessoas que você conhecerá, as amizades que irá fazer, os relacionamentos que irá cultivar, em um intercâmbio a gente aprende a correr atrás, tomar iniciativa, querer conhecer as pessoas, as vezes perder um ônibus fará você esperar no ponto com uma pessoa que você irá puxar conversa, chamar para sair, casar e ter filhos (quem sabe?), daí você reflete e pensa que você não precisar fazer isso apenas por ser estrangeiro, você pode fazer isso no seu próprio país, você pode se esforçar um pouco mais e querer mais conhecer as pessoas que passam pela sua vida, e não dar um valor alto só porque é de outro país, esse foi com certeza um dos maiores aprendizados que eu tive, e vou levar comigo pelo resto da vida.

Em umas palavras finais, quero agradecer à todas as pessoas que passaram pela minha vida nesse intercâmbio, igualmente as que ficaram vivendo junto comigo por vários dias quanto as que eu vi apenas uma vez, vocês foram minha felicidade e minha força em muitos momentos cruciais da minha vida nas últimas semanas, e eu sei que perderei contato com muitos de vocês mas nunca perderei meu carinho e consideração, venham para o Brasil me ver, e brasileiros que conheci, vamos nos encontrar novamente também, obrigado por tudo.

______________________________English______________________________

Plot Point is the name given to a moment of a story that changes the course of history, presenting new obstacles and/or new solutions for the character.

There were some of those in my life…some certainly bigger than I’d like. But today I’m living the biggest plot point I’ve ever had, and I’ll take this moment to write my reflections on the exchange.

The downside

When you’re away from home, thousands of miles from all of your family and friends, your old life and your routine, it means you need to reinvent yourself. You need to have a quick learning to establish new relationships, understand the environment, adapt to all the difficulties, which depending on your destination, are many and difficult to get around, and more importantly, the ability to control everything in your reach at all times and simultaneously think of all the difficulties that can arise and how to solve them.

In exchange, you go through a lot of good things and a few bad, the problem is that these bad things often come when you’re unprepared for, and sometimes the solution that you usually take for this is not possible when abroad.

Often you will feel a bit of sadness, sometimes very sad, it is a natural process, caused by sudden changes and events that bring learning and self-discovery for the person, and you hardly returns exactly as you were when you traveled.

Where you are returning to

Go back home, a feeling that you often want to arrive soon and as many others times you dont want to, but what it is certain, is that you learn to give a lot more value for your things, and people who were always with you. That famous saying that you do not know the value of what you have until you lose it is always true, but even knowing that, people still do not apply in real life, always falling in the same story, “I should have given more value.” The exchange is a blessing, because it makes you lose everything you knew and liked, but with the difference that gives you back later, giving a second chance to appreciate the things in their plenitude.

I always had full awareness of the issue of values ​​because I have experience in living alone, and even for me it was very hard since being away from family, and being away from family in another country is an huge abyss of differences, and my affection and consideration by all my family and friends got even bigger.

What you left behind

For me to be part of AIESEC, I had contacts with people who have traveled, and people who were traveling in Brazil, all they talk is how it is impactating and somewhat indescribable experience of travel, today I can say with certainty that they were completely right.

Being in a country where few people really know or even have a little knowledge of its current reality, where the language is an enormous obstacle to any kind of communication and help that can be expected, where food, religion, culture are completely different, and unknown to you, is one of the best experiences in life that can be expected, to know the museums, see the natural and also man-made beauties, understand their history, their true wealth, living traditions of a community, these are things that no book or internet will be able to provide you.

What will you take with you

I’m not talking about souvenirs or ukrainian chocolates, but two far more important issues, memories and friends.

The two sometimes go together or separate, but they are certainly the two most valuable things in any experience you can have, because they are memories that will tell you who you are, who you should be and where you will go.

And friends, people you will want to have for life, people who helped you in a difficult moment, people you met in a bar or a club, people with whom you shared a roof, or simply a french fries, people that stayed with you for a few minutes, or for weeks, people who fought with you, laughed with you, sometimes both at the same time. Sometimes she will not remember you, because you did not impacted her life the way she did on you, and sometimes the contrary, an action that you took and seemed normal to you, but for someone was a great thing and truly special . The truth is that you never know for sure how strong your bond with someone is, or how long it will last, you do not know if that person across the world will see you again while the one that you’re close you may never else have the chance.

One thing that I hope you learn from reading it, the place that you pick will change much your experience, time and the activity that will perform too, but the factor that will most influence are the people you meet, the friendships you will make, the relationships that you will grow in an exchange, we learn to go after it, take initiative, you want to really know people, sometimes you miss a bus, you will wait on the bus stop, you will start a conversation with a person, go out with her, get married and have children (who knows?), then you reflect and think that you do not need to do this only as a foreigner, you can do this on your own country, you can push yourself a bit more and want to know more people that go through your life, and not giving a high value only because she is from another country, this was surely one of the greatest learning experiences I’ve had, and I will carry with me for life.

In some final words, I want to thank all the people who passed through my life this exchange, such as those that were living with me for several days as the ones I saw only once, you were my joy and my strength in many crucial moments of my life on the past weeks, and I know I’ll lose touch with many of you but never lose my affection and consideration, come to Brazil to see me, and Brazilians I met, we’ll meet again too, thank you for all.